PAÍS: world
IDIOMA:
PAÍS:
Home voltar para home

Gestão de RH - 13/07/2021

Seis maneiras de medir a Experiência do Funcionário

Todos sabem que os funcionários são o maior ativo de qualquer empresa, mas será que elas estão mesmo preocupadas em entregar uma boa experiência para tão importante ativo? Sim, as coisas estão mudando, as empresas já entenderam a importância que um ciclo de vida positivo pode causar e também sabem que é preciso monitorar essa experiência e a satisfação das equipes para agirem de maneira proativa frente a algum problema. 

 

Essa transformação é necessária porque estratégias mais antigas de RH não contribuíam ou mediam o engajamento dos funcionários corretamente, simplesmente deixando a experiência de lado, como se isso não fosse importante ou não impactasse na estratégia de negócios da empresa. 

 

Isso deixa uma questão: por que as empresas se dedicam a oferecer a melhor experiência aos seus clientes, mas ignoram a experiência dos seus funcionários? Não há uma resposta única para essa questão, mas é fundamental entender que, hoje, é essencial oferecer  a melhor experiência aos seus funcionários se quiserem desenvolver novos talentos ou manter suas melhores peças. 

 

Por isso, a experiência do funcionário se tornou um dos mais importantes KPIs de recursos humanos. E, está cada vez mais claro, que quanto melhor for a experiência dos funcionários, sua satisfação e felicidade, melhor será a experiência do cliente, maior a rapidez para atender uma solicitação e os benefícios para os negócios. 

 

 

O que medir

 


Entregar uma boa experiência ao funcionário é uma jornada contínua, sem prazo de validade. Se não for assim, qualquer impacto positivo conquistado é perdido rapidamente. Então, monitorar as expectativas dos funcionários, entender o que eles esperam da empresa e agir para atender a essas expectativas, é essencial para manter a saúde dos negócios. 

 

Apesar da importância, não existe uma receita de como melhorar a experiência do funcionário e que atenda a todas as empresas. Cada uma tem suas particularidades e os fatores que impactam nessa experiência podem ser muito diferentes entre um segmento automotivo e um restaurante, por exemplo. Isso torna o monitoramento e análise de métricas ainda mais importantes. 

 

A experiência do funcionário pode ser impactada por fatores ambientais, culturais e tecnológicos, mas também é influenciada pela complexidade do trabalho e das normas da empresa. Entende-se, assim, que é a soma de diversos fatores e percepções que os funcionários têm sobre as interações e sobre como a empresa atende às suas necessidades e desejos. Sim, lembra muito uma abordagem focada na experiência do cliente. 

 

Assim, para medir a experiência do funcionário é necessário coletar informações e feedbacks de várias fontes para que a empresa tenha os subsídios para criar uma estratégia de engajamento eficiente. 

 

Então, enviar pesquisas aos funcionários é o primeiro passo. Longa ou curta, a pesquisa precisa ser objetiva para capturar exatamente o que ele pensa sobre a empresa, ambiente de trabalho, chefia e sobre seu próprio trabalho. Mesclar questões de múltipla escolha com questões abertas, com respostas anônimas, ajuda os funcionários a se sentirem seguros para fornecerem uma opinião sincera. 

 

Outra métrica importante, e simples, é a que mede a produtividade dos funcionários. Estudo da Universidade de Oxford mostra que funcionários felizes são 13% mais produtivos. Então, acompanhar a produtividade de seus funcionários é uma métrica importante para entender se a experiência é satisfatória.  

 

Muitos fatores externos podem impactar no bem-estar do funcionário: problemas pessoais, financeiros, de saúde e muitos outros. Como é impossível controlar o que acontece com o funcionário fora da empresa, o estresse interno, causado pelo trabalho, pela pressão em bater metas, entre outros fatores devem, sim, ser monitorados e analisados. 

 

Funcionários estressados ou sobrecarregados normalmente estão insatisfeitos e isso também pode impactar as taxas de absenteísmo, que são as ausências não programadas. Taxas muito altas podem indicar problema. Então, faltar ao trabalho ou buscar ajuda médica é apenas uma maneira de mostrar sua insatisfação e possivelmente experiências negativas.  

 

Da mesma forma, a experiência do funcionário também influencia nos níveis de retenção e até nas indicações feitas para uma vaga, afinal, funcionários satisfeitos dificilmente vão procurar um novo emprego, e, quando uma nova vaga é aberta, também costumam fazer indicações de amigos. 

 

Buscar uma estratégia que entregue a melhor experiência ao funcionário é essencial para também oferecer uma experiência superior aos clientes. Empresas que desejam focar no cliente, precisam primeiramente focar em seus funcionários e buscar métricas que contribuam para tornar essa tarefa o menos desafiadora possível. O resultado é sentido nos negócios. 

 

Apdata desenvolve soluções avançadas de RH voltadas para facilitar o dia a dia das empresas. Fale com um dos nossos especialistas e conheça. 

VOLTAR