PAÍS: world
IDIOMA:
PAÍS:
Home voltar para home

Gestão de RH - 12/08/2021

Como funciona, na prática, a contratação inclusiva?

Como garantir um processo de seleção verdadeiramente imparcial inclusivo e garantir, assim, que os melhores candidatos sejam realmente contratados? Práticas de contratação – e também de onboarding inclusivo – não devem ser vistos apenas como um modismo passageiro, para a empresa ser “bem-vista” perante o mercado. Essas ações precisam ser entendidas como uma estratégia que contribui para aumentar a retenção de talentos e garantir a maior produtividade da força de trabalho, entre outros benefícios. 

 

O processo de contratação inclusiva busca nivelar as oportunidades de contratação para todos, evitando qualquer forma de discriminação. As decisões sobre qual candidato será contratado deve se basear em suas habilidades, experiências e qualidades. E, isso, muitas vezes, exige que o RH saia da sua zona de conforto, na qual busca sempre por candidatos que atendam a um padrão. 

 

Investir em uma estratégia inclusiva há benefícios claros para as empresas. Além de melhorar o desempenho dos funcionários, contribuir para uma melhor experiência de trabalho e trazer inovação para o ambiente de trabalho, além de preparar a empresa para o futuro, pois permite buscar por bons candidatos, com um conjunto de habilidades e conhecimentos que realmente atendam às necessidades de negócios em transformação. Mais do que nunca, a diversidade no ambiente de trabalho garante o crescimento por meio da pluralidade de ideias e experiências. 

 

Práticas para contratação inclusiva

 

Diversidade significa diferentes tipos de pessoas que convivem e interagem em um mesmo ambiente de trabalho, que não fica restrito a questões de gênero ou cor. 

 

E isso implica na forma com que a descrição de trabalho é escrita e divulgada. Essa descrição precisa omitir termos que possam indicar preconceito, ou que a escolha será feita a partir da cor da pele, orientação sexual ou gênero. É preciso que a comunicação seja simples e direta, criada em linguagem neutra, com foco nas responsabilidades do trabalho, e nas competências e habilidades do indivíduo.  

 

Acessibilidade é fundamental para um processo de seleção inclusivo. E isso exige que a plataforma digital que a sua empresa utiliza para divulgar as vagas também seja inclusiva, com acesso a deficientes visuais, por exemplo. 

 

Processo de seleção padronizado

 

Claro, não basta ter um site acessível e comunicação inclusiva se a entrevista tiver algum viés que pode determinar o direcionamento da vaga para um público específico. Então, é necessário contar com um roteiro de perguntas padronizado para todos os candidatos,  que contemple questões que considerem as habilidades do candidato e não, por exemplo, questionar uma mulher se ela pretende ter filhos, já que isso não tem absolutamente nenhuma conexão com sua experiência de trabalho ou conhecimentos. 

 

Da mesma forma, as próprias entrevistas podem ser feitas em grupo, por uma equipe diversificada, para trazer diferentes perspectivas para o processo. 

 

Inclusão como parte da marca

 

Muitas empresas afirmam ser inclusivas, quando na verdade não o são. Então, é essencial que a inclusão faça parte do compromisso da empresa, com uma comunicação que deixe claro que o apoio à diversidade e inclusão é um compromisso sério e que tenha como foco a transformação do ambiente de trabalho. 

 

O processo de contratação é apenas o primeiro passo. A empresa também precisa contar com processos de onboarding, políticas de salário e oportunidades que contemplem os funcionários, sem distinção. Dessa forma, o RH precisa monitorar a situação de todos os funcionários,  entender o que pode estar impedindo seu desenvolvimento dentro da empresa e buscar estratégias para evitar possíveis problemas que levem esse funcionário buscar uma oportunidade em outra empresa. 

 

Por fim, é necessário analisar se a estratégia de contratação inclusiva está realmente surtindo o efeito desejado, que é o de aumentar a inclusão e diversidade da força de trabalho.  E o primeiro ano de trabalho do novo contratado tem papel importante nessa análise, de forma que o RH analise relatórios de desempenho, ouça o feedback dos funcionários, entenda como está sendo suas experiências e mensure o grau de inclusão da empresa, nas lacunas pelos mais diversos departamentos. 

 

Trazer as melhores práticas na gestão do capital humano. Esse é o foco da Apdata, que traz uma abordagem estratégica para simplificar processos e proporcionar maior independência para a empresa. Entre em contato e conheça nossos serviços. 

VOLTAR