PAÍS: world
IDIOMA:
PAÍS:
Home voltar para home

Gestão de RH - 26/09/2022

Cinco formas de medir a saúde mental no ambiente de trabalho

A saúde mental no trabalho é tema de estudos desde muito antes da chegada da pandemia e seus desafios  há registros de pesquisas do início do século 20. As formas de lidar com isso, contudo, mudaram bastante. A sociedade começa a encarar o assunto sem tabus, buscando conhecer, prevenir e atuar. As novas tecnologias também se transformam em aliadas, fornecendo ferramentas para atender e acompanhar pessoas.  

 

Lidar com tudo que o tema envolve pode ser bem complexo, já que ele abarca desde questões biológicas e culturais até as socioeconômicas e psicossociais. Em um contexto de pandemia, a situação fica mais desafiadora. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas no primeiro ano de Covid-19, a taxa global de ansiedade e depressão subiu 25%. A boa notícia é que, no final de 2021, “a situação havia melhorado um pouco”, ainda de acordo com a OMS.  

 

Estabelecer medidas simples para acompanhar a saúde mental no ambiente de trabalho e, a partir disso, planejar e executar estratégias é essencial. Para saber o que está acontecendo, é preciso encontrar meios de ouvir os colaboradores.  

 

Confira cinco formas de gerar dados mensuráveis sobre a saúde mental dos seus funcionários. 

 

Checagem do bem-estar

 

 Você pode aplicar questionários de pesquisa com poucas perguntas  algumas com escalas numéricas e outras abertas e opcionais  para consultar como seus funcionários estão se sentindo e se eles precisam de algum suporte. Estabelecer uma periodicidade para essas checagens ajuda a acompanhar, avaliar e medir a trajetória dos funcionários.  

 

 Alta performance nem sempre é sinônimo de saúde mental. Funcionários podem atuar sem dar indícios de como estão. Perguntar, portanto, por meio de uma abordagem confortável e segura, pode ser um primeiro passo. Com o retorno deles, é possível identificar sinais de alerta. Além disso, toda a equipe ganha uma cultura de atenção e valorização da saúde mental.  

 

Bem-estar da equipe

 

Momentos de baixa produtividade, energia e foco podem vir acompanhados de períodos de alta concentração e rendimento e sem que isso represente grandes problemas. Mas quando mais de um integrante do time se sente com dificuldade de trabalhar, pode ser uma questão de estresse relacionada ao trabalho.  

 

Para medir isso, é só utilizar os resultados das perguntas individuais, filtrando os assuntos e termos conforme a necessidade e ferramentas disponíveis, para verificar se há compatibilidade entre os relatos.  

 

Alguns dos geradores de estresse e outros perigos podem ser: comunicação e expectativas inadequadas ou sem clareza; conflitos com supervisores; suporte inadequado; alta carga de pressão ou de trabalho; intimidação e assédio.  

 

Trabalho híbrido

 

Nos casos em que o colaborador opta pelo trabalho híbridocheque e compare respostas relacionadas ao trabalho no escritório com o expediente em casa, isso pode fornecer percepções importantes para avaliar o impacto do home office na saúde mental. Confira três questões que podem ajudar a mensurar: 

 

  1.  Insira a pergunta “Você está trabalhando em casa ou no escritório hoje?” em todos os questionários é essencial para acompanhar possíveis diferenças. 
  2.  Já a pergunta “Você tem tudo que precisa para executar suas tarefas?” pode trazer retornos importantes sobre barreiras ou bloqueios enfrentados pelos trabalhadores remotos.  
  3.  Por fim, pergunte sobre a facilidade de estabelecer e manter rotinas nos diferentes ambientes de trabalho, isso pode indicar problemas como a realização das atividades para além do horário acordado ou para manter um equilíbrio entre a vida e o trabalho. 

 

Performance

 

performance dos colaboradores é um importante termômetro. Geralmente, as pessoas querem fazer o melhor que podem em suas atividades, evitando erros e falhas. Quando uma performance cai, isso pode ser sinal de que o colaborador se sente desmotivado ou pode estar mesmo com questões de saúde mental.  

 

Manter interações frequentes e com regularidade sobre performance ajuda a entender os níveis de satisfação, conquista de metas e barreiras.  

 

Retorno ao trabalho

 

O acompanhamento de colaboradores que precisaram de licença por questões de saúde mental é essencial para garantir um retorno confortável e facilitar a transição. Também é fundamental acompanhar o retorno ao trabalho motivado por outras questões, como após afastamento provocado pela pandemia;  no período posterior da licença-maternidade/paternidade; ou por questões de saúde física.  

 

Essas cinco dicas podem ser cruciais ou apenas o ponto inicial para elaborar estratégias voltadas para o bem-estar dos seus funcionários. O importante é adotar medidas com planejamento apurado e regularidade. 

 

A Apdata é pioneira no desenvolvimento de soluções de inovação e tecnologia para RH. Entre em contato para saber como ela pode ajudar no desenvolvimento da sua equipe e da sua empresa!  

VOLTAR